A MANUTENÇÃO ADEQUADA PARA O SISTEMA DE FREIOS DO CAMINHÃO

Nos caminhões, como em qualquer tipo de veículo, o sistema de freios é a parte mais importante quando o assunto é segurança. Freios em mau estado não farão o trabalho para o qual foram projetados e não serão tão eficazes, especialmente em uma situação de risco e necessidade de parada repentina.

Devido ao grande peso das cargas transportadas, más condições das rodovias, descidas longas cheias de curvas ou até mesmo freadas contínuas ou fortes, os freios são super exigidos e podem superaquecer o sistema, chegando ao extremo de romper componentes importantes. Para garantir a minimização de falhas técnicas e mau desempenho do caminhão, a manutenção preventiva e atenciosa é mais do que necessária. Afinal, é melhor prevenir do que remediar.

Caminhões, como também outros tipos de veículos pesados, usam o sistema de freios pneumático.  Da mesma forma como ocorre em automóveis, é o motorista que o ativa, fazendo com que o caminhão pare completamente em alguns segundos, simplesmente colocando-se o pé no pedal. A operação é baseada na pressão do ar para acionar o freio no momento em que o pedal é pressionado. Mais especificamente, esse ar é armazenado em vários tanques e um compressor o pressuriza no motor.

Dessa maneira, quando o motorista aciona o freio do veículo, os discos e as pastilhas do caminhão são colocados em operação, a partir da pressão do sistema. Dependendo de como o é piso, mais ou menos pressão pode ser liberada para regular a intensidade da frenagem.

Independentemente do tipo de aplicação do seu caminhão, é especialmente aconselhável executar determinadas ações de manutenção preventiva para manter o sistema de frenagem no ponto ideal pelo maior tempo possível. Cada elemento do sistema é importante e cumpre uma função indispensável para a segurança do veículo.

Primeiro faça uma inspeção geral do sistema de freios. Inspecione tambores ou discos, mangueiras, revestimento, juntas e molas. Todas essas peças devem estar em perfeitas condições, sem rachaduras, vazamentos, cortes ou desgaste excessivo.

As lonas de freio geralmente são a primeira parte do sistema que devem ser substituídas. Os revestimentos não devem estar soltos ou manchados com óleo ou graxa e devem ser substituídos se a espessura for menor que 0,50 cm. Além disso, verifique as mangueiras de ar conectadas às áreas do sistema de freios para garantir a montagem correta e verifique se há problemas de desgastes.

Substitua as sapatas do freio constantemente. Elas vêm com indicadores de substituição que avisam motoristas e técnicos quando começam a se desgastar e precisam ser trocadas.


As linhas de ar devem estar em boas condições para que funcionem corretamente. Elas não devem estar rachadas, gastas ou danificadas. É necessário evitar atritos com outras partes do veículo. A drenagem diária do tanque de ar evita que a umidade se acumule no sistema e dificulte a parada no frio.

Inspecione as pastilhas dos freios quanto a rachaduras ou outros danos. Verifique se não há vazamentos de óleo ou graxa nas vedações do cubo ou nas vedações do eixo. As pastilhas de freio devem ter pelo menos 0,6 e 1,1 mm de espessura.

Se mantidos adequadamente, os ajustadores de tensão garantem que cada freio receba a mesma pressão. Um ajuste inadequado pode causar calços desiguais e dificultar a parada.

Por último, porém não menos importante, inspecione os pneus em intervalos regulares para garantir o desempenho adequado e seguro dos freios. Examine todas as áreas expostas com frequência. Limpe-os e procure sinais de rachaduras, corrosão, desgaste ou outros danos. Inspecione visualmente as câmaras de ar para garantir que não estejam danificadas, soltas ou que os parafusos não estejam quebrados. A manutenção do rolamento é também um componente importante para a manutenção do sistema de freios.  

O trabalho de manutenção periódica é vital para a mecânica e o nível de desempenho do seu caminhão. A detecção precoce de problemas pode poupar pequenos sustos ou despesas imprevistas no futuro, além de oferecer segurança nas viagens.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *