FIQUE ATENTO AO PRAZO DE VALIDADE DE AFERIÇÃO DE SEU TACÓGRAFO

Todo caminhoneiro conhece bem a importância do tacógrafo ou cronotacógrafo. Para quem ainda não sabe para que serve o equipamento,  vai uma descrição básica: é um dispositivo básico que garante que os motoristas estejam cumprindo suas horas de trabalho sem excedê-las. Também ajuda a evitar multas por excesso de velocidade por registrar a velocidade desenvolvida durante os trajetos.

É essencial saber o que é e como funciona, pois o uso inadequado implica em uma infração que pode ser muito cara. De acordo o Código de Trânsito Brasileiro seu uso e avaliação é obrigatório para veículos rodoviários de transporte de mercadorias e pessoas.

O tacógrafo é um dispositivo instalado em veículos que registra algumas das ações executadas pelo motorista desde o início de sua jornada de trabalho.  Este instrumento, considerado a “caixa-preta” dos veículos, registra de forma simultânea, inalterável e instantânea dados importantes sobre a condução. Ele permite conhecer a velocidade e a distância percorrida pelo veículo, em função do tempo decorrido, assim como os parâmetros relacionados com o condutor, tais como: o tempo de trabalho, período de parada e o de direção.

Os dados do tacógrafo são registrados e verificados periodicamente, e seu funcionamento varia dependendo se ele é analógico ou digital.

A versão analógica, mais utilizada no Brasil, usa um disco-diagrama de papel carbonado, muito semelhante a bobina de papel usado em caixa registradora para registrar as informações, sendo que cada disco pode registrar a informação de um dia, uma semana ou outro período de tempo conforme a versão do aparelho. Já as versões digitais e mais recentes destes aparelhos utilizam smart cards, ajudando a evitar adulterações nos registros.

Agora tem outra informação que muita motorista experiente esquece:  quem faz a utilização do tacógrafo, de acordo com Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo (Ipem-SP) é obrigado por lei fazer a revisão, de dois em dois anos, ou sempre que houver manutenção do equipamento, com a comprovação de lacração e selagem. Você sabia disso? Fique atento. Tacógrafo vencido gera multa.

A verificação do equipamento é realizada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normatização e Qualidade Industrial (Inmetro) ou em Postos de Ensaios credenciados e tem como principal objetivo assegurar que as medições realizadas por esses instrumentos sejam confiáveis, servindo como importante ferramenta em prol do motorista.

E se você tem o app S.O.S Truck aí fica tudo muito mais fácil. No app é fácil encontrar os postos credenciados mais próximos de onde você estiver e é possível até mesmo marcar hora e fazer o pagamento antecipado.

Quando o prazo de aferição do tacógrafo estiver por vencer, não precisa esquentar a cabeça, o app enviará antecipadamente uma notificação de alerta. Assim você não corre o risco de ser pego de surpresa durante a fiscalização e pagar multa por falta do certificado.

A verificação é feita na selagem do cronotacógrafo sendo realizados alguns testes em um equipamento chamado simulador de pista composto por dois rolos, onde os veículos rodam uma distância de dois quilômetros. Após isso, o resultado é registrado em um disco ou fita diagrama, que mais tarde é enviado ao órgão responsável para análise.

Após as inspeção e ensaios exigidos pelo regulamento técnico metrológico específico, são colocados os selos plásticos e adesivos. Se aprovado, será emitido um certificado preliminar com validade de 30 dias. Dentro desse prazo será emitido Certificado de Verificação, com validade de até 2 anos, o qual o motorista deve sempre manter no veículo em caso de fiscalizações. Em caso de reprovação do cronotacógrafo, o condutor do veículo não é penalizado, mas ele será notificado para que corrija os problemas no aparelho, tendo que realizar manutenção e uma nova certificação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *